Workshop discute Bioenergia na Agricultura Familiar

Aconteceu nesta sexta-feira (08) o “V Workshop de Bioenergia na Agricultura Familiar” no PDE do Campus Uvaranas da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O encontro tratou do papel da Universidade nas Políticas Públicas. Foram convidados para o evento, o Deputado Tadeu Veneri e o Coordenador do Ensino Superior do Estado do Paraná, Professor Michel Samaha.

Segundo o professor e um dos coordenadores do Lama, Pedro Henrique Wirich Neto, é importante o envolvimento das universidades no desenvolvimento de políticas públicas. “Esse é o nosso papel e aqui podemos identificar o problema, pensa e revisar cientificamente o assunto, testar possíveis soluções para a posterior tomada de decisão”, afirma.

A professora Drª Nátali Maidl de Souza falou sobre a sua experiência no exterior em comparação com as Universidades brasileiras. “No Reino Unido há 167 Universidades e a maioria está na Inglaterra. Elas são públicas, mas administradas de forma privada, com cobrança de pequenas taxas anuais com a regulamentação do Governo. A graduação varia de 3 a 5 anos, o mestrado de 1 a 2 anos e o doutorado pode ser realizado em até 5 anos”, explica. Segundo a docente o grande diferencial é a interação que as instituições têm com o Poder Público no planejamento urbano para a construção de um contínuo entre cidade e universidade, no conceito de Campus Park.

“Lá nós visualizamos um conjunto de políticas que melhoram a qualidade de vida, como a arborização planejada, os jardins comestíveis, os telhados verdes para redução da temperatura, o bicicletário comunitário. Há um comprometimento com a mobilidade urbana e também com a eficiência energética e tratamento de água. Ou seja, são algumas iniciativas que fazem toda a diferença”, afirma.

De acordo com o Reitor Miguel Sanches Neto, “aqui na Universidade Pública que está a grande capacidade de modificação da sociedade e de todas as estruturas que nós temos hoje em vigor. E se nós não tomarmos à frente, acabaremos sendo passivos a políticas que serão criadas, como meros executores”, finaliza.