Voluntários produzem protetores faciais para Profissionais de Saúde

Um grupo de voluntários se uniu para produzir protetores faciais para os profissionais da saúde do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU-UEPG). Conforme explica o professor da UEPG Benjamim de Melo Carvalho, há um grande número de pessoas atuando hoje na definição do melhor projeto em termos de qualidade e produtividade. “Este grupo envolve professores e alunos de mestrado e doutorado da UEPG, da UTFPR de Francisco Beltrão e Ponta Grossa e profissionais que têm impressoras 3D em casa”, conta.

De acordo com o o vice-reitor Everson Krum, serão produzidas 300 máscaras para atender às equipes. “Está é a mobilização da comunidade em parceria com o conhecimento dos professores e pesquisadores das universidades, que quando demandados, rapidamente buscam soluções criativas e inovadoras para os problemas do meio onde vivemos”.

Segundo o professor Benjamim, o projeto receberá o apoio do Governo do Estado na compra de filamentos. “Inicialmente conseguimos a ajuda do Rotary para a compra de uma quantidade inicial de filamentos, que já foram encomendados. A reitoria da UEPG também já se prontificou a providenciar insumos para a produção dos protetores faciais”, diz.

Nesta terça-feira (24), a Direção do Hospital Universitário se reuniu para avaliar os equipamentos produzidos. “É importante o feedback dos profissionais da área da saúde. Conseguimos a doação por parte de professores da UEPG de folhas de acetato transparente. Se a equipe aprovar este modelo com viseira de acetato, nossa linha de produção será simples e poderemos começar a fazer em quantidade”, afirma o professor.

Benjamin explica que o grupo de trabalho otimizou o projeto para imprimir uma peça de qualidade, com redução de custo e tempo. “Tem sido realmente um trabalho de equipe, com contribuições vindas de diversos especialistas. O custo de produção das máscaras está abaixo de R$ 10. E, como a viseira é um Equipamento de Proteção individual (EPI), temos que pensar que cada profissional da saúde envolvido no atendimento de pacientes deve ter o seu”.

Com o apoio do Governo do Estado, o objetivo é desenvolver um Projeto coletivo, integrando a ação em diversas regiões do Paraná. O professor envolvido no projeto realiza um convite à sociedade, “interessados que tenham impressoras 3D são convidados a participar deste projeto coletivo”, finaliza Benjamin.

Texto: Vanessa Hrenechen    Foto: Aline Jasper