UEPG terá Museu de Ciências Naturais

Ponta Grossa ganhará um novo Museu de Ciências Naturais (MCN) no campus da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O espaço foi idealizado devido à emenda parlamentar do deputado federal Aliel Machado (PSB), no valor de R$ 1 milhão, vinda pelo Ministério do Turismo e irá funcionar no Centro de Convivência, no prédio da antiga biblioteca de Uvaranas, após um processo de revitalização.

A exposição reunirá um importante acervo com esqueletos, minerais raros, fósseis, animais taxidermizados, entre outros. A intenção do reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto, é de que o museu seja entregue ainda no primeiro semestre de 2020. “A criação do Museu de Ciências Naturais é um marco dentro da própria instituição e para a cidade. A universidade tem inúmeros acervos na área das ciências naturais que ficavam nos cursos e projetos específicos. Agora, eles terão um lugar único, o que irá facilitar a visitação”, afirma.

O reitor explica que “o foco do museu será a parte didática que estará disponível para a comunidade em geral e para as escolas. Além de representar um grande avanço, valoriza os pesquisadores, professores e profissionais que trabalham com as ciências naturais e os cursos envolvidos nessa área”.

A Diretora de Planejamento Físico a UEPG, Andressa Gobbi, conta que além da reforma, foi realizada a compra de móveis novos, executados pela Precam, para a revitalização do local. O professor Antonio Liccardo, do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UEPG, idealizador do projeto, destaca que a criação do museu dentro da Universidade é uma ousada estratégia de aproximação dos alunos, pesquisadores de diferentes áreas da própria instituição e visitantes externos.

Segundo Liccardo, “o museu contemplará exposições de geodiversidade, biodiversidade e astronomia. O objetivo é torná-lo um importante ponto de turismo cultural e científico de Ponta Grossa, ancorando também informação dos vários atrativos da região, como Vila Velha, Buraco do Padre, Salto São Jorge, entre outros.

“A proposta é continuar fazendo pesquisa de ponta na área científica e mostrar os resultados para a sociedade na forma de extensão, aprimorando a qualidade da educação dos nossos alunos da UEPG, seja como frequentadores, visitantes ou como monitores qualificados. Já fazemos isso há muito tempo e o museu será uma ótima vitrine”, finaliza Liccardo.

Texto: Vanessa Hrenechen / Fotos: Antonio Liccardo