Cursos de pós-graduação da UEPG realizam 187 defesas no primeiro semestre de 2020

Mesmo durante a pandemia, as pesquisas na UEPG não pararam. A rápida adaptação dos pesquisadores às ferramentas on-line proporcionou um grande número de atividades remotas, como aulas, orientações e apresentação de projetos. Somente no primeiro semestre de 2020, foram realizadas 187 defesas nos cursos de pós-graduação, sendo 136 em mestrados acadêmicos, 12 em mestrados profissionais e 39 em cursos de doutorado.

O pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da UEPG, professor Giovani Marino Favero, conta que no início da pandemia, a maioria das pesquisas presenciais foi paralisada como normativa de segurança aos pós-graduandos, orientadores e técnicos, sendo mantidas apenas as atividades com extrema necessidade de manutenção.

“Em um segundo momento, após dois meses, uma comissão foi organizada pela Propesp para avaliar solicitações individuais de docentes e pós-graduandos para a realização de pesquisas presenciais nos diferentes laboratórios. Esse pedido é analisado pelo Colegiado do Programa de Pós-graduação envolvido e, em seguida, pela Comissão da Propesp que, após uma criteriosa análise instrui quanto à possibilidade ou não do desenvolvimento da pesquisa”, explica. Conforme Giovani, pelo segundo semestre consecutivo a UEPG foi a instituição estadual com maior adesão às disciplinas transversais da UFPR mediadas pela SETI. “Provavelmente, a instituição ministrará uma disciplina dessa maneira para todo o Estado no segundo semestre desse ano”, diz.

Dentre os  destaques do segundo semestre, está o Programa de Pós-Graduação em Odontologia (PPGO) que concluiu 24 defesas de mestrado, 19 defesas de doutorado e uma pré-qualificação de doutorado no período. “Apesar do ambiente de pandemia e da impossibilidade de desenvolvimento das pesquisas experimentais e clínicas, por sua característica intervencionista, o PPGO vem desenvolvendo grande monta de atividades de maneira remota”, afirma a coordenadora do Programa, professora Nara Hellen Campanha Bombarda.

O professor Fábio André dos Santos, da Diretoria de Pesquisa e Pós-graduação, explica que as pesquisas foram desenvolvidas de maneira presencial, antes da necessidade de isolamento, e que as defesas ocorreram de forma virtual a partir do início da quarentena. Segundo o docente, devido às restrições impostas por causa da pandemia, muitos pró-graduandos estão adaptando os trabalhos, com os olhares voltados para as novas mídias digitais.

A coordenadora do curso reforça que todas as defesas realizadas no primeiro semestre de 2020 receberam publicidade, com divulgação do link de acesso para a sala virtual de reuniões à comunidade acadêmica. Nara também ressalta a participação dos docentes que, mesmo com o afastamento social, continuam realizando diversas atividades de maneira remota. Por não apresentar o calendário universitário vinculado ao calendário da graduação, o Programa de Pós-Graduação em Odontologia está ofertando virtualmente oito disciplinas para o curso de mestrado e seis para o doutorado.

“Os professores do PPGO têm atuado com destaque no planejamentos de atividades, desenvolvimento de novos protocolos de atendimento de pacientes pelo Departamento de Odontologia, definição de práticas odontológicas em tempos de Covid-19, divulgação de conteúdos nas mídias sociais e meios acadêmicos, orientação de trabalhos e divulgação dos resultados das pesquisas no campo de atuação”, reitera a professora Nara, que também parabeniza a participação dos alunos. “Os nossos discentes, além de estarem frequentando as disciplinas, estão atuando como tutores no Ciclo de Palestras de Atualização em Odontologia, realizado de 15 de junho a 31 de julho, e no V Fórum Multiprofissional Sebisa, com programação de 27 de maio a 31 de agosto de 2020”,  afirma.

Texto: Vanessa Hrenechen      Foto: Luciane Navarro