UEPG produz e distribui álcool 70% para instituições da região

O Laboratório de Produção de Medicamentos (Lapmed) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) recebeu nesta sexta (03) 1,6 tonelada de matéria-prima para a produção de álcool 70%. A Universidade já produziu e distribuiu mais de 1100 litros do material para instituições dos Campos Gerais, como parte das estratégias de combate à pandemia de Covid-19. O Laboratório tem outros 1500 quilos de álcool em gel, que serão utilizados no Hospital Universitário e distribuídos para entidades parceiras.

O montante de álcool etílico 99%, utilizado para produção de álcool 70%, tanto glicerinado quanto em gel, recebido hoje, foi uma doação da empresa Allnex Química. Durante a semana, outra doação de meia tonelada de álcool em gel 70% foi enviada pela empresa Winner. “As doações recebidas de empresas são fundamentais para este projeto, além do investimento da própria UEPG”, agradece o professor Sinvaldo Baglie, coordenador do Laboratório.

Ele explica que a estratégia montada na UEPG busca atender às demandas da sociedade. “Colocamos a infraestrutura dos laboratórios para a produção de álcool e envase para uso. Para que isto ocorresse, precisamos dos professores, farmacêuticos e técnicos para estas ações, de início ligados ao Departamento de Ciências Farmacêuticas”, conta.

O reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, destaca que a Universidade está mobilizada em diferentes ações para atender ás demandas neste momento de excepcionalidade. “No caso da produção do álcool 70%, o Lapmed está em produção contínua para que este produto chegue aos que estão na linha de frente no combate à Covid-19”. Sanches enfatiza que “isso só é possível pela união de esforços dos nossos servidores, de parceiros e de empresas que vêm doando matéria-prima para que esta corrente do bem chegue a mais pessoas”.

Entidades beneficiadas

Esta estrutura possibilitou que as entidades recebessem álcool de qualidade e pronto para uso. Já foram atendidos pelo Lapmed o Hospital Universitário da UEPG, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Rodoviária, Departamento Penitenciário, Exército (Castro) e Ponta Grossa Ambiental.

A parceria com a UEPG veio em boa hora, já que esse tipo de produto está escasso no mercado”, conta o tenente-coronel Leonel José Beserra, comandante do 1° Batalhão de Polícia Militar. Segundo ele, os policiais estão em situação vulnerável, por realizar atendimentos em lugares diversos. Por isso, estão sendo feitos diversos procedimentos, como a higienização e desinfecção das viaturas e reforço na limpeza das mãos dos policiais. “São várias parcerias com a UEPG, que estão deixando nosso pessoal preparado, como capacitações sobre os procedimentos com o pessoal do HU, e também com materiais, como o álcool glicerinado e os protetores faciais. Isso traz tranquilidade para que nossa equipe possa fazer abordagens nas ruas”, avalia o comandante.

“Essa doação da UEPG é de fundamental importância para conseguirmos manter condições mínimas de segurança, limpeza e descontaminação das mãos durante nossas atividades”, enfatiza o oficial de Comunicação Social do 2º Grupamento de Bombeiros, Capitão Renan Augusto Bortolassi de Oliveira. Ele diz ainda que, durante o atendimento das ocorrências, os bombeiros muitas vezes não têm acesso a água e sabão para fazer a limpeza das mãos. Assim, o álcool 70% acaba sendo um aliado para a higienização das mãos e a segurança dos profissionais.

O professor Sinvaldo explica que o álcool 70% tem ação antisséptica sobre bactérias e vírus, como o novo coronavírus. “O álcool 70% com a adição da glicerina tem ação umectante e evita o ressecamento da pele. O álcool 70% em gel possui um tempo de ação residual maior na pele. Entretanto, independente da formulação, ambos são eficazes”, orienta.

O pró-reitor de Administração da UEPG, professor Ivo Demiate, conta que também foi realizada nesta sexta-feira a aquisição de 1000 litros de álcool em gel de uma empresa local, com valor reduzido por ser utilizado para serviços essenciais para a população. Esse produto será destinado para o Hospital Universitário e para os parceiros da UEPG, enquanto o Lapmed recebe os insumos restantes para continuar a produção.

Texto: Aline Jasper
Fotos: Luciane Navarro e Vanessa Hrenechen