UEPG lamenta falecimento do professor Luis Antônio Rigailo

É com grande pesar que a UEPG informa o falecimento do Procurador e Professor da universidade, Luis Antônio Rigailo (11/02/1949 – 17/05/2020). Morreu em Santa Catarina, onde passou a morar depois da aposentadoria e da viuvez. Será cremado hoje, às 11h, no Crematório Vaticano em Balneário Camboriú.

Rigailo foi professor assistente da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e também fez parte de seu quadro administrativo. Licenciado em Letras (1974) e bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (1980), instituição em que obteve também o grau de mestrado em Ciências Sociais Aplicadas, tinha experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Administrativo, atuando principalmente nos seguintes temas: neoliberalismo, reforma do estado e reforma administrativa.

Com grande atuação na política interna da instituição, ocupou, entre outros cargos, a Secretaria Especial de Registro de Diploma, presidiu inúmeras comissões de inquérito e foi Procurador Geral da Universidade. Em 1990, disputou a vice-reitoria na chapa do professor Sérgio Scorsim. Profissional muito respeitado no meio acadêmico, ingressou na UEPG aos 25, em 1º de agosto de 1974 e se aposentou 1º, de maio de 2009, com uma carreira irretocável, de uma grande coerência ética e moral.

O reitor, professor Miguel Sanches Neto, lamenta a morte do funcionário exemplar, do amigo dedicado e do grande defensor da instituição, de quem se fez sempre um valioso advogado. “A UEPG perde um dos funcionários que ajudaram a organizar a instituição que existe hoje, um profissional sempre responsável que ajudou a criar a estrutura administrativa da Universidade”. A história de Rigailo se confunde com a própria história da UEPG.

A UEPG é grata ao professor pelo período que lecionou no curso de Direito e se solidariza com os familiares pela perda irreparável.