UEPG reúne 27 entidades para ação solidária nos bairros

Neste sábado (29), acontece a primeira ação do projeto UEPG nos Bairros, das 9h às 13h, no Jardim Panamá. A iniciativa, que reúne 27 entidades parceiras para realizar atividades de prestação de serviços e ações informativas, tem o objetivo de promover o bem-estar, inclusão social e cidadania.

Estão previstos sete eventos durante o ano: seis serão realizados nos bairros e um acontece no Campus Uvaranas da UEPG, durante a Festa da Primavera. As ações do projeto “Ponta Grossa Solidária: a UEPG nos bairros e os bairros na UEPG” são voltadas aos locais de maior vulnerabilidade social e com pouco acesso aos serviços básicos, como saúde, lazer, segurança, serviços jurídicos, educação e capacitação profissional.

O professor Miguel Sanches Neto, reitor da UEPG, enfatiza que a universidade tem na sua história a extensão e a pesquisa como princípios de qualidade da educação superior, que, junto com a ação cidadã, criam um elo para a consolidação da cidadania. “As pessoas que frequentam diariamente os campi da nossa instituição já se sentem acolhidas com as rotinas de trabalho e de assistência que existem para elas, mas uma das perguntas de base desse projeto foi: Como nós conseguimos impactar a vida das pessoas que não frequentam a universidade? Esse é nosso principal objetivo”, aponta. Para Sanches, o intuito é fazer com que a UEPG se torne uma universidade socialmente referenciada, que, em conjunto com as entidades parceiras, é capaz de atender aos bairros que estão geograficamente próximos, mas socialmente distantes.

Para o professor Miguel Archanjo de Freitas Junior, coordenador do projeto e diretor da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual (Agipi), as instituições que integram o projeto buscam realizar ações estratégias para a transformação da sociedade. “Todos nós temos uma preocupação social, e hoje, quem trabalha muito são as pessoas que ainda tem tempo de fazer o bem ao próximo”, ressalta Archanjo. As outras atividades acontecerão sempre no último sábado de cada bimestre, conta o coordenador.

O presidente da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico da UEPG (FAUEPG), Sinvaldo Baglie, explica que as atividades que levam a comunidade universitária aos bairros trazem benefícios que, com o tempo, melhoram significativamente a realidade desses locais. “Quando levamos a elite pensante da universidade nos bairros, essa informação se perpetua e se difunde”, pontua Baglie.

São diversas instituições parceiras que integram as atividades, desde atendimento à saúde e jurídico, até cursos de capacitação e de inclusão no mercado de trabalho. Para a delegada adjunta da Polícia Civil, Tânia Maria Sivercoski, quando se unem forças é possível atingir uma parcela maior da população. “Nosso objetivo é mostrar que estamos neste projeto para cumprir com a cidadania, afinal você garante a cidadania quando a pessoa está com a sensação de justiça”, afirma a delegada.

Participam das atividades as entidades parceiras: UEPG, Associação Abrace o HU, Rotary Alagados, Rede Paranaense de Comunicação (RPC), Agência do Trabalhador, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subsessão Ponta Grossa, Ministério do Exército – Quartel General da 5ª, Delegacia Receita da Polícia Federal – Sede Ponta Grossa, 13ª Subdivisão da Polícia Civil, UP Internet, 1º Batalhão de Polícia Militar do Paraná, Secretaria Municipal de Segurança e Cidadania, Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte de Ponta Grossa, Serviço Brasileiro de Apoio a Pequenas e Micro Empresas (Sebrae), Serviço Social do Comércio (Sesc), Serviço Nacional de Apredizagem Comercial (Senac), Serviço Social da Indústria (Sesi), Sanepar, Copel, Associação Comercial de Ponta Grossa (Acipg), Master Line Cursos Profissionalizantes, Maxo Elétrica e Automação, Escritório de Contabilidade Multicon, Grupo GMAD, Operário Ferroviário Esporte Clube (Ofec) e Associação dos Oficiais da Reserva R2 da cidade de Ponta Grossa.

Texto: Patrícia Guedes    Revisão e Fotos: Aline Jasper