Mestranda em Ciências Biomédicas procura voluntários para pesquisa sobre enxaqueca

A mestranda Vanessa da Costa Vicente, do programa de Pós-Graduação em Ciências Biomédicas da UEPG, está recrutando voluntários para participar de uma pesquisa que monitora a pressão intra-craniana de pacientes com enxaqueca, orientada pelo professor José Carlos Rebuglio Vellosa. Os experimentos acontecem nos dias 17 e 19 de setembro, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h, e nos dias 23 e 25 de setembro, das 14h às 18h, no laboratório 21 do Bloco M, no Campus Uvaranas da UEPG.

Os pré-requisitos para participar da pesquisa são ter entre 18 e 50 anos, ser portador de enxaqueca ou dor de cabeça crônica, para o grupo experimental, ou não possuir enxaqueca nem outra doença crônica, para o grupo controle. Como destaca Vanessa, os benefícios de se participar desta pesquisa são a possibilidade de monitorar a pressão intracraniana (PIC) de forma não invasiva e gratuita, além de conhecer um método inovador para monitorar a PIC. Interessados podem entrar em contato com a pesquisadora pelo e-mail vanessacvicente30@gmail.com, ou comparecer nos dias dos experimentos.

Sobre a pesquisa

A pesquisa tem o objetivo de avaliar a pressão intracraniana de pacientes com enxaqueca, a partir de um equipamento inovador e metodologia totalmente não-invasiva. É utilizado um aparelho em formato de headband (uma espécie de faixa em volta da cabeça). Esse aparelho possui um sensor que faz a medição e envia um relatório com as características da morfologia da PIC a uma plataforma ou aplicativo.

A enxaqueca, ou migrânea, como também é conhecida, é caracterizada por uma dor de cabeça forte, pulsante e unilateral, com sintomas como náuseas, vômitos, fotofobia e fonofobia. Os métodos atuais para monitorização da PIC são altamente invasivos, segundo a pesquisadora, e conferem riscos aos pacientes. “Ressalta-se a importância de ferramentas que auxiliem no acompanhamento de pacientes com enxaqueca, contribuindo para o diagnóstico e para que se possa tratá-las precocemente”, ressalta.

Texto: Aline Jasper