Fórum das Licenciaturas aborda a valorização docente

No dia 24 de outubro, a COPELIC, em parceria com a PROGRAD, promoveu o 12º Fórum das Licenciaturas. Esta edição foi transmitida aos alunos EaD pelo NUTEAD, em ação conjunta com o NTI.

No período da tarde, houve a mesa redonda “o profissional docente – Mercado de trabalho e carreira”, com as professoras Sandra Mara Dias Pedroso, represente da rede de ensino estadual, Simone do Rocio Pereira Neves, da rede de ensino municipal e Rosemeri Leani Knebel, da rede de ensino particular.

A mediação da mesa aconteceu pela professora Djane Antonucci Correa, representante da Copelic e a abertura das discussões foi realizada pela professora Simone que abordou as leis que garantem a valorização da profissão de docente, o plano de carreira no município de Ponta Grossa, o valor do salário inicial na rede municipal e a importância da luta pelos direitos dos professores e melhorias na Educação.

Na sequência, a professora Rosemeri atentou para as expectativas da sociedade com relação ao profissional docente e sobre a necessidade de quebrar paradigmas para superar a visão de que a docência é vocação. A professora abordou exemplos já vivenciados por ela em seus vinte anos de experiência para ilustrar as problematizações e também reforçou a importância de lutar pela valorização do professor constantemente. Por fim, a professora Sandra fez uma discussão acerca do significado da palavra “docência” e ilustrou uma série de competências que se articulam com a ação de ensinar. No encerramento, ela tratou das questões relacionadas a ser professor na contemporaneidade.

Durante a noite, aconteceu a palestra “Políticas de formação e valorização docente: os desafios da atual conjuntura brasileira”, ministrada pela professora Michele Fernandes de Lima da Unicentro Irati. Com o grande auditório lotado, a docente expôs o contexto econômico, político e social para a definição de políticas educacionais em nosso país.

Segundo Michele, a educação tem ganhado centralidade no debate de setores conservadores e tem sido entendida como um serviço não exclusivo do Estado. “A lógica privatista tem ampliado os agentes privados na condução das políticas educacionais. Além disto, há grandes contradições em relação ao que é determinado para a educação nas leis, principalmente com respeito à valorização do magistério, e o que é feito na prática. Um exemplo, é o fato do rendimento bruto médio mensal dos profissionais do magistério das redes públicas de Educação Básica ficar 25% em defasagem do valor recebido por outros profissionais com nível superior completo”, afirma. Por fim, a professora fez uma crítica ao 3º parecer, recentemente publicado pelo Conselho Nacional de Educação, à Diretriz Nacional de Formação de Professores publicada em 2015.

Nesta edição do Fórum das Licenciaturas, os temas foram em torno da preocupação com as políticas públicas e a relação destas com a valorização do magistério para a melhoria da qualidade da educação no país. O evento contou com as apresentações e produções artísticas dos alunos(as) e professores(as) dos cursos de Licenciatura em Artes Visuais, Letras e Música.