Empresa de energia doa máscaras e luvas para HU-UEPG

A Universidade Estadual de Ponta Grossa recebeu recebeu, nesta quarta (03), a doação de equipamentos de proteção individual (EPIs) para o Hospital Universitário. São 231 caixas de luvas e 2500 máscaras do tipo PFF2, doadas pela empresa de energia Engie.

Este tipo de equipamento sofre escassez no mercado, devido à pandemia de Covid-19. A diretora do HU-UEPG, professora Luciane Cabral, enfatiza que as doações ajudam a assegurar que todas as equipes assistenciais e de higienização estão em segurança. “Toda doação é bem-vinda e útil, lembrando que temos estoque mas há um certo desabastecimento no mercado e alguns fornecedores não têm produtos para entrega”, ressalta.

As luvas e máscaras serão utilizadas pelas equipes assistenciais que atendem aos pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por coronavírus, na ala Covid do hospital.

Máscaras N95 e PFF2

As máscaras PFF2 são similares aos respiradores N95. A diferença é que as primeiras são certificadas pela norma brasileira definida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), enquanto que os segundos são testados e reconhecidos por uma instituição estadunidense. Ambas são consideradas os equipamentos de proteção individual (EPI) ideais para trabalhadores expostos a ambientes com contaminação aérea, garantindo a segurança do usuário.

Este tipo de máscara, recomendada durante a pandemia para uso de profissionais da saúde que entram em contato com possíveis casos de coronavírus, tem um filtro de ar que bloqueia pelo menos 95% das partículas em suspensão, ajudando a proteger contra doenças transmitidas pelo ar, como a Covid-19. O material pode ser utilizado mais de uma vez, desde que pela mesma pessoa e depois de ser armazenado corretamente, o que torna esse equipamento semidescartável.

Durante a pandemia de Covid-19, este equipamento é particularmente importante, já que dentre as manobras médicas utilizadas em pacientes infectados, estão a intubação e a aspiração, procedimentos que geram aerossóis (partículas sólidas ou líquidas finíssimas suspensas no ar). Por isso, respiradores N95 e PFF2 são indispensáveis para uso das equipes na linha de frente da assistência da pandemia.

Texto e fotos: Aline Jasper