Cesta básica reduz 0,54% em dezembro

Segundo o Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas (NEREPP) do Departamento de Economia da UEPG, o custo médio da Cesta Básica de Ponta Grossa teve uma queda de 0,54% no mês de dezembro. A pesquisa caracteriza o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias com 3 membros em média, com renda de 1 a 5 salários mínimos e residentes em Ponta Grossa.

A compra dos 33 produtos que compõem a Cesta passou a custar R$512,99 na primeira semana do mês de janeiro de 2020, e desses, 18 subiram, 14 caíram e um permaneceu constante. O item que mais aumentou foi o ovo com 41,17% e o de maior queda foi o tomate com 11,50%.

Dos cinco grupos que compõem a Cesta Básica, o que apresentou maior aumento foi Hortifrutigranjeiro com 10% e o de maior queda em seus valores foi o grupo carne com 6,22%, colaborando para a diminuição no preço da mesma.

Como o salário mínimo está em R$998, a pesquisa concluiu que uma família com renda mensal de apenas um salário mínimo gastaria cerca de 51, 40% de sua renda na compra da cesta. Relacionando-se famílias de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, observa-se que despenderiam, respectivamente, 25,70%; 17,13%; 12,85%; e 10,28% de sua renda.

A equipe de pesquisadores do NEREPP observou que preços promocionais nem sempre demonstram a realidade, pois alguns produtos foram encontrados mais baratos em outros estabelecimentos do que naqueles onde os mesmos se apresentavam em promoção.

Conforme o documento, observam-se as seguintes variações mensais nos grupos:

– Grupo Alimentação Geral: continuou constante, e dentro deste, o macarrão foi o produto responsável pela maior variação positiva de 14,05% e sendo a margarina o item de maior variação negativa com 6,45%.

– Grupo Hortifrutigranjeiros: com um aumento de 10 % e dentro deste grupo, o produto de maior variação positiva foram os ovos com 41,17%, e o tomate com 11,50% de maior variação negativa.

– Grupo Carne: teve uma queda de 6,22% e dentro deste, a carne bovina apresentou a maior variação negativa de 9,71%, enquanto o frango veio a apresentar a maior variação positiva de 2,85%.

– Grupo Higiene: com um aumento de 0,98% e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi o papel higiênico com 5,15% e o produto de maior variação negativa foi o desodorante com queda de 2,16%.

– Grupo Limpeza: teve uma queda de 1,65% e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi a esponja com 9,78% e o produto de maior variação negativa foi a água sanitária com 9,40%.

 

Texto: Vanessa Hrenechen