voltar

HISTÓRICO

                          Durante o ano de 1965, em encontros de amigos nos pontos da Rua XV de novembro de Ponta Grossa, o comentário predominante era o da necessidade de profissionais liberais nos campos das ciências atuariais, contábeis, econômicas, e de administração de empresas. Entre essas pessoas encontrava-se o Economista José Gomes do Amaral, funcionário do Banco do Brasil, que mantinha estreitos laços de amizade com o Governador do Paraná Paulo Cruz Pimentel.
                          Esses encontros prosperaram tanto que o Governo do Estado nomeou um Conselho de Curadores, constituído de José Gomes do Amaral – Presidente, Antônio José França Satyro e Henrique Dinyevicz, membros Titulares, e Roberval Carvalho, Osires Juraszek e José Herley Stachowiack, membros Suplentes, que ao final do ano de 1965, encaminhou ao Governador Projeto de criação dos cursos de Ciências Econômicas, Contábeis e Atuariais na cidade de Ponta Grossa, projeto esse reencaminhado pela Casa Civil à Assembléia Legislativa do Estado do Paraná.
                          No dia 12 de janeiro de 1966, o senhor Presidente da Assembléia, Deputado Antônio Ferreira Ruppel, promulgou a Lei nº. 3/66, que criava a Faculdade de Ciências Econômicas de Ponta Grossa, constituída dos cursos de Ciências Econômicas, Ciências Contábeis e Ciências Atuariais.
                          A Lei nº. 3/66 foi regulamentada pela Ler nº. 5.506, de 03-02-67, do Governo do Estado do Paraná, que deu à nova Faculdade a forma de estabelecimento isolado de ensino superior de natureza autárquica, com a transformação da nomenclatura inicial para Faculdade de Ciências Econômicas e Administração, que ofertava os cursos de Ciências Econômicas e Administração – FACEA, esse último com as habilitações de Administração de Empresas e Administração Pública, sendo que as vagas iniciais eram quarenta (40), com a opção pelo curso a partir do início da 3.ª série.
                          Através da Resolução nº. 9/67, de 03-03-67, o Conselho Estadual de Educação concedeu a autorização oficial de funcionamento da Faculdade e de seus cursos, com aprovação do projeto pedagógico dos cursos, cujo currículo pleno do curso foi convalidado pelo Decreto nº. 5.692, de 20-06-67.
Como a nova Faculdade não dispunha de instalações físicas, todas as atividades iniciais relativas ao projeto de criação, ao projeto pedagógico e ao orçamento plurianual, necessário pelo fato de a Faculdade ser instalada como Autarquia Estadual, foram confeccionadas nas salas 41 e 42 do 7.º andar do Edifício Dr.Elizeu Campos Melo, na Rua XV de Novembro n.º 301, então Escritório de Contabilidade  de Roberval Carvalho, que as cedeu gentilmente, na condição de um dos membros fundadores da Instituição e Presidente do Instituto Paranaense de Auditores – Sociedade Civil, cuja mudança de sede da Faculdade para o terceiro pavimento do Bloco das Faculdades na Praça Santos Andrade ocorreu às vésperas do concurso de habilitação.
                          Desde 04 de fevereiro de 1967, a Diretoria da Faculdade, constituída de José Gomes do Amaral – Diretor, e de Mário Urbano Canteri – Secretário, mesmo com apenas a promessa de nomeação para o cargo por parte da Superintendência do Ensino Superior do Paraná, passaram a exercer suas atividades, em termos de tarefas administrativas, pedagógicas e orçamentárias, visando a implantação efetiva e definitiva da Faculdade.
                          Nos dias 27, 28 29 e 30 de março foi realizado o 1.º Concurso de Habilitação (vestibular) para quarenta (40) vagas, comuns para os dois cursos, para o qual haviam se inscrito oitenta e dois (82) candidatos.
                          Na 1.ª quinzena do mês de abril foi iniciado o ano letivo com calendário próprio que amortizava as férias regulamentares do mês de julho, praticado por outras Faculdades sediadas no mesmo edifício, com quarenta alunos matriculados na 1.ª série.
                          A partir do mês de abril de 1967, a Faculdade se estruturou e, embora não tivessem ainda sido nomeados, passaram a exercer suas funções efetivamente os professores fundadores da 1.ª série:  José Gomes do Amaral, Edilon Joaquim Teixeira Biscaia, Roberval Carvalho, Manoel Pedro Ferreira dos Santos, Ercindo Batista Valentim e José Ely Stadler,  posteriormente nomeados pelo Decreto nº. 6.789, de 18 de setembro de 1967.
                          O pessoal administrativo, designado pela Superintendência ficou assim constituído: escriturárias: Herondina Gobbo Schavaroski e Anastácia Romanowski; Bibliotecária: Krystyna Helena Estivaletti; inspetores de alunos: Georges Panaíte Gueorghiou e Calixto Emílio Neme.
                          A Faculdade consolidou-se efetivamente com a nomeação do Diretor e Vice-Diretor, respectivamente, Edilon Joaquim Teixeira Biscaia e José Ely Stadler, através do Decreto nº. 7.671, de 23-11-67,  e do primeiro Secretário Geral, Mário Urbano Canteri, através do Decreto nº. 8.017, de 21-12-67, da Lei nº. 5.709, de 27-12-67, concedendo os recursos financeiros para a cobertura das despesas antecipadas da Faculdade, do Decreto nº. 10.181, de 15-05-68, aprovando o Orçamento Próprio da Faculdade na condição de Autarquia Estadual, e o Decreto Federal nº. 69.697, de 03-12-71, que reconheceu a Faculdade e seus cursos ofertados.
                          Assim, no dia 08 de janeiro de 1971, graduou-se a primeira turma de Administração, constituída de 10 (dez) Bacharéis, entre os quais, Álvaro Benedito Di Piero, César Vicente Motti, Luiz Alberto Motti e Jordão Bahls de Almeida, bem como a primeira turma de Ciências Econômicas, constituída de 18 (dezoito) Bacharéis, entre os quais, Carlos Benedito da Costa Pinto, Edílson Luis Carneiro Baggio e  Flávio Ribas Tebcherani.
                          Concluindo, considerando que, conforme normas do MEC da época, só poderia constituir uma Universidade a cidade que possuísse cinco (5) Faculdades, a Faculdade de Ciências Econômicas e Administração – FACEA foi de suma importância e fundamental para a implantação de uma Universidade em Ponta Grossa. Tanto isso é verídico que a Lei n.º 3/66 em seu artigo 1.º criou a FACEA e no seu artigo 2.º criou a Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, três anos e dez meses depois recriada com as coirmãs de Londrina e de Maringá.

Ponta Grossa, 20 de março de 2009.

Autor Mário Urbano Canteri.

1.º Secretário