18 a 22 de maio de 2009

APRESENTAÇÃO

VI Semana de 

integração da  resistência

 Semana de Resistência na luta pela

democratização da comunicação

 

         Enquanto alguns estudantes entram e saem da universidade apenas com a carga horária das disciplinas, outros tentam mostrar que este espaço se estende muito além das salas de aula. Unir forças para uma luta incomum foi uma forma que há seis anos, os estudantes encontraram para fazer com que os olhos da sociedade se voltassem para os problemas que inundavam a universidade. Sem medo de ousar, lutar e debater, surgiu em 2004, a Semana de Integração da Resistência que naquele momento lutava por uma universidade pública e de qualidade.

           Passaram-se seis anos do Acampamento Dois de Março e da primeira edição da Semana, porém muitos dos objetivos traçados na época continuam sendo buscados pelos estudantes que todos os anos destinam parte do seu tempo para a organização do evento. Com o tempo, a Semana de Resistência ganhou destaque e prestígio pela sua capacidade de reunir temas, atividades, debates, professores e alunos num mesmo espaço e com os mesmos objetivos.

           Todos os anos o evento busca levantar discussões que não são tão valorizadas na sociedade quanto deveriam, mas que podem ganhar espaço na Semana de Resistência. Já discutimos América Latina, Ocupação de Espaços, Minorias, entre outros temas. Este ano é a vez de debater a democratização dos meios de comunicação como forma de espaço para os movimentos sociais.

O tema “Mídia, Movimentos Sociais e Democracia” tem como objetivo despertar o interesse para essa discussão na sociedade, já que nos aproximamos da 1ª Conferencia Nacional de Comunicação, que acontecerá em dezembro. Incentivar esse debate nos diversos setores, inclusive nos cursos de comunicação é uma forma de apoiar a causa e fazer com que as pessoas se sintam, desde já, integradas com a temática.

           O evento pretende integrar os estudantes por meio das atividades realizadas ao longo da semana. As palestras, debates, mostra de documentários, atividades culturais, rádio resistência, concursos e oficinas compõem a programação da Semana. Além da festa e do show de calouros, que complementam a programação.

           Apesar do tempo que passou, a Semana continua sendo um importante espaço de discussão dentro da Universidade Estadual de Ponta Grossa, por isso a importância em levar adiante essa proposta de debate acadêmico. O que nos faz crescer enquanto estudantes, pessoas e profissionais é o fato de não ficarmos calados mediante as diversas situações que perpassam a nossa sociedade. E nesse processo, a Semana de Integração da Resistência possui papel fundamental e vai contribuir mais uma vez para as discussões de uma temática relevante na sociedade!

           Mídia, movimentos sociais e democracia