Tilito

 

Nome dado à rocha sedimentar litificada (endurecida) formada pelo acúmulo dos detritos levados por uma geleira. Quando se trata de um material ainda não consolidado, formado recentemente, recebe o nome de till. A ausência de decomposição química dos constituintes do tilito, devido ao clima glacial, que inibe a oxidação, determina a coloração acinzentada, cor peculiar à maior parte das rochas trituradas mecanicamente, no caso a ação da geleira. O aspecto geral dos tilitos varia muito conforme a região trabalhada pela geleira. O gelo transporta simultaneamente vários tipos de rochas, em blocos e seixos grandes, areia e pó finamente triturado, sem selecionar os tamanhos, o que se daria no transporte pela água ou pelo vento. Por esta razão fragmentos grandes, pequenos e finíssimos, de várias constituições minerais, ocorrem todos eles mais ou menos nas mesmas proporções. A estrutura do tilito é maciça (sem orientação), seus seixos são facetados e estriados em conseqüência da abrasão contra a rocha sob a geleira. Nesta rocha, denominada pavimento rochoso, apresentam-se as estrias (feições lineares na rocha devido ao deslocamento das geleiras, demostrando a orientação da mesma). Nos Campos Gerais ocorrem tilitos na Formação Iapó (Siluriano, cerca de 425 milhões de anos), e no Grupo Itararé (Carbonífero, cerca de 300 milhões de anos). Na região da Colônia Witmarsum, no Município de Palmeira, são abundantes tilitos pertencentes ao Grupo Itararé, e pavimentos rochosos estriados no contato destes com o Arenito Furnas, situado abaixo. (Heracto Kuzycz Assunção & Mário Sérgio de Melo)

Bibliografia:
AMARAL, Sérgio Estanislau do; LEINZ, Viktor. Geologia Geral. Editora Nacional, São Paulo, 3ªed.,1966.
POPP, José Henrique. Introdução ao Estudo da Estratigrafia e da Interpretação de Ambientes de Sedimentação. Editora UFPR, Curitiba, 1ºed. 1987.