Rocha, Álvaro Augusto Cunha

 

Nasceu em Ponta Grossa (Pr), em 1924 e faleceu em 1992. Bacharelou-se em Direito pela atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor catedrático da Universidade Estadual de Ponta Grossa, foi seu primeiro Reitor (1970 - 1974). Membro do Conselho Estadual de Educação do Paraná, do Centro Cultural Euclides da Cunha (Ponta Grossa), do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico de Ponta Grossa e de outras entidades culturais e científicas. Em 1949, recebeu o primeiro lugar no Concurso Machado de Assis, sobre ficção, promovido pela Universidade Federal de Direito do Rio de Janeiro. Fez várias conferências e publicações, versando sobre assuntos universitários e jurídicos. No campo específico da literatura, dedicou-se à poesia. Publicação poética: O Espírito do Tempo (1992). (Vera Marilha Florenzano).

O Breve

Qualquer condição perene
- mesmo a dos deuses -
cansa. O pomo,
para ser o que é,
há de ser breve.

Tolice querermos nós,
no humano empenho vão do imperecível,
dos deuses buscar exemplo
na calma e duradoura pedra
em que os fixamos.

Pois se nos quiseram eles
como somos:
tensos e instantâneos,
afanosos de prover, cada qual,
a frágil ânfora.

Foi por sucumbidos ao Sonho
- que os fascina e enternece -
do Breve que lhes falta.

Palavras-chave: Ponta Grossa, cultura, poesia.

Referências Bibliográficas:
Acervo familiar
Jornal da Manhã. Ponta Grossa.