Nascimento, Noel

 

Nasceu em Ponta Grossa (Pr), em 1925. Fez os estudos fundamentais na cidade natal. Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná, em 1949. Promotor público, foi afastado do cargo por motivos políticos, em 1964, reassumindo-o depois da lei da anistia, em 1979. Advogado, prosador, ensaísta, poeta, escreve em jornais e revista de vários estados do país. Pertence à Academia Paranaense de Letras e a entidades culturais de natureza vária. Entre outras publicações, obteve em 1995 o primeiro lugar no Concurso Nacional de Romances, promovido pela Secretaria da Cultura do Paraná, com Arcabuzes. Nada é gratuito ou acidental na poesia desse poeta ponta-grossense que fixou residência em Curitiba. De sua postura social surge uma poesia mais reveladora do homem e seu momento do que qualquer documento histórico ou sociológico. Publicações poéticas: Nuvens (1951); Coreto de Papel (1983). (Vera Marilha Florenzano).

O pedreiro

Ele olhou o filhinho
sentado no chão
e quanto mais bebia
mais via o filhinho
sentado no chão.

Ao passar cambaleando
pela rua de comércio
furtou a cadeirinha de madeira.

Na manhã seguinte
apareceu morto no cubículo
da delegacia
e nunca mais viu o filhinho
sentado no chão.

Palavras-chave: Ponta Grossa, cultura, poesia.

Referências Bibliográficas:
Jornal do Paraná. Ponta Grossa.
Santos, Pompília Lopes. Sesquicentenário da Poesia Paranaense – antologia. Governo do Paraná José Richa. Curitiba: Secretaria da Cultura e do Esporte, 1985.
Ribas Silveira. Antologia Pontagrossense. Ponta Grossa: [s. n.], 1960.
Tapejara. Ponta Grossa.