Max, Amália

 

Nasceu em Ponta Grossa (Pr), em 1924. Pintora e professora de pintura, só mais tarde seu talento para as artes voltou-se para a literatura. Como personalidade envolvida com o mundo cultural, promove cursos, profere palestras e tem recebido títulos honoríficos de natureza vária. Membro do Centro Cultural Euclides da Cunha (Ponta Grossa), do Centro de Letras do Paraná, da Academia de Letras do Estado do Rio de Janeiro e de muitas outras entidades literárias nacionais e estrangeiras. Fundou a Casa do Poeta Ponta-grossense. É Presidente da União Brasileira de Trovadores, seção Ponta Grossa. Contista, poetisa, trovadora, seu nome consta de várias antologias. Publicação poética: Escaninho – trovas (1981). (Vera Marilha Florenzano).

O nascimento de Jesus

Quando Jesus nasceu
soaram clarins festivos;
a luz do luar sorriu,
estrelas longínquas correram para mais perto,
apinhando-se nas janelinhas do céu.
O mar abraçou cantigas das ondas.
A aurora cantou
                    na voz dos galos
                    na sinfonia dos pássaros
                    no festival das cigarras.
Por fim veio a chuva alegre
cheia de sol e arco-íris
                    lavando o tapete verde dos campos
                    alcantilando de pétalas todo o chão.

Só a árvore
tendo que ser cruz... chorou.

Palavras-chave: Ponta Grossa, cultura, poesia.

Referências Bibliográficas:
Acervo pessoal.
Santos, Pompília Lopes. Sesquicentenário da Poesia Paranaense – antologia. Governo do Paraná José Richa. Curitiba: Secretaria da Cultura e do Esporte, 1985.