Sêcco, Glacy Camargo

 

Nasceu em Teixeira Soares, a 14 de junho de 1922. Logo a família mudou-se para Paranaguá, onde fez seus primeiros estudos. Desde cedo, mostrou-se grande estudiosa da Língua Portuguesa. Em 1938, sua família veio para Ponta Grossa. Aí, formou-se em Línguas Neolatinas, pelos idos de 1945, na então, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. Nesse período, já iniciou pesquisas lingüísticas.

Lecionou Português, por vários períodos, no Ensino Fundamental e Médio, em diversas escolas da cidade e região: Colégio Sagrada Família, Colégio Agrícola Augusto Ribas, CAFE – Curso Armida Frare (“Preparatório para Vestibulares, Cadetes de Terra, Ar e Mar”, e no Colégio Estadual Regente Feijó- Ensino de 1º e 2º Graus, segunda maior escola pública do Estado, (Ponta Grossa). Nesse último, também ministrou aulas de Francês. Ainda ministrou aulas no Colégio Bento Gonçalves, em Palmeira, Exerceu o magistério superior, como professora catedrática, no Departamento de Letras, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, desde 1958, onde lecionou Língua Portuguesa. Ali também substituiu os professores Meira de Ângelis e Dr. Estevão Coimbra; e a professora Júlia Folgueras Bêcares (Espanha), nas disciplinas de Espanhol e de Latim. Foi uma das primeiras docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa a fazer Pós-Graduação. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, obteve o título de Especialista em Filologia Românica, sob a direção da romanista Matilde Mattarazzo Gargiulo (1978). Obteve o grau de Mestre, em Língua Portuguesa, pela mesma Universidade, período em que foi aluna e orientanda do filólogo Prof. Dr. Celso Ferreira da Cunha, com quem aprofundou ainda mais seus conhecimentos sobre a Língua Portuguesa (1980).

Atuou na área da Sociolingüística e coordenou estudos e pesquisas de campo, em Cursos de Graduação, de Pós-Graduação (lato sensu) e de Extensão Universitária, em vários municípios paranaenses, além de Ponta Grossa. Os trabalhos geraram um corpus significativo de dados lingüísticos, e deram origem à Edificação do Banco de Dados Lingüísticos do Curso de Letras, o que beneficiará a comunidade universitária em geral, a partir de 2006. Na Universidade Estadual de Ponta Grossa ainda, deu nome ao Centro Acadêmico de Letras – Centro Acadêmico de Letras Profª Glacy Sêcco.

Publicou obras filológico-literárias, dos períodos medieval e clássico; assim como obras gramaticais e/ou lingüísticas sobre o Português moderno, na Revista Uniletras e nos Cadernos Universitários (Universidade Estadual de Ponta Grossa). São obras suas: “Menéndes Pidal e o Cantar de Mío Cid”, “O Sintagma Preposicional”; “A Metáfora e a Comparação n'Os simples de Guerra Junqueiro”; “Aspectos Lingüísticos Palmeirenses; “O /-L/ Implosivo na Linguagem Pontagrossense”; “Aspectos da Sintaxe Quinhentista n'Os Lusíadas”; “A Língua Portuguesa” – registros estruturais” e “Biografia de Júlia Wanderley”. É da Academia de Letras dos Campos Gerais, Cadeira nº 28, e do Centro Cultural Prof. Faris Michaelle. ( Nilcéia Albuquerque França )

Referências Bibliográficas:
Sêcco, Glacy C. (2000) A língua portuguesa – registros estruturais. Editora UEPG.

Entrevistas com a Professora Glacy Camargo Sêcco e com sua filha, Josiènne Ribas.