Cadilhe, José

 

É natural da cidade paranaense de Antonina (1874). A princípio mestre-escola, depois funcionário da Rede Ferroviária, decidiu-se pelo jornalismo. Militou na imprensa de Curitiba, de Paranaguá e de Ponta Grossa, no mesmo Estado. Na Princesa dos Campos, redatoriou e dirigiu o Diário dos Campos durante quase um década, fundou o jornal A Cidade (1928) e foi secretário da Câmara Municipal. Temperamento polemista e impetuoso, cultor da Beleza, sensibilidade de artista, marcou presença na cidade, participando de sua vida cultural e social, como jornalista, como teatrólogo, como poeta. Jornalista, esteve sempre às voltas com as questões políticas. Teatrólogo escreveu, com sucesso, peças encenadas em Ponta Grossa, Curitiba, Paranaguá e Antonina. Autor de belíssimos poemas, todos vazados nos moldes clássicos, cultivou em especial o soneto e só uma vez tentou o verso livre, quando escreveu Delirium Tremens. Pertenceu à Academia Paranaense de Letras. Faleceu em Curitiba, em 1942. Publicações poéticas: Poesias (1916); Delirium Tremens (1946). (Vera Marilha Florenzano).

A um estranho visitante

Quem és, donde vieste? O teu aspecto
É de quem percorreu longo caminho,
Sem a esperança de encontrar um teto,
Sem a unção confortante dum carinho.

No teu olhar de dor, profundo e quieto,
A timidez magoa como espinho.
Não sei quem és, mas crê no meu afeto.
Aí tens tudo o que tenho: pão e vinho.

Sob os andrajos teus, a dupla vista
Descobre o sonhador, o louco, o artista.
Alma de rei, nas vestes dum mendigo.

E habitaste meu lar e foste embora...
Se eu pudesse partir estrada afora
De terra em terra a mendigar contigo!

Palavras-chave: Ponta Grossa, cultura, poesia.

Referências Bibliográficas:
Diário dos Campos. Ponta Grossa.
Holzmann, Epaminondas. Cinco Histórias Convergentes (obra póstuma). Curitiba: Oficinas Gráfica da Papelaria Requião, 1966.
Jornal do Paraná. Ponta Grossa.
Raitani Neto, Felício; Souza, Colombo. Letras Paranaenses. 2ª ed. Curitiba: Ociron Cunha, 1971.
Rodrigo Junior; Plaisant, Alcebíades. Antologia Paranaense. Curitiba: Mundial, 1938.
Ribas Silveira. Antologia Pontagrossense. Ponta Grossa: [s. n.],1960.