Cimento portland
Aglomerantes

Objetivo: verificação qualidade e quantidade de cimento entregue na obra, em especial: data de validade, embalagem, tipo de cimento, fabricante, selo ABCP, massa líquida etc.
Veja também as recomendações quanto ao aceite do material.

Normas indicadas:
NBR 5732 - Cimento portlande comum - especificação; NBR 11578 - cimento portlande composto - especificação;
NBR 5735 - Cimento portlande de alto-forno - especificação;
NBR 5736 - Cimento pozolânico - especificação
NBR 5733 - Cimento portlande de alta resist~encia inicial - especificação

1 Amostra
Para a verificação da quantidade (massa líquida) a primeira amostra deve ser de 10 sacos para um lote de até 30 toneladas (600 sacos) escolhidos de forma aleatória durante a descarga do lote. No caso de haver quantidade inferior a especificada, formar outra amostra somando os primeiros 10 sacos com mais 20 retirados também aleatoriamente.

2 Inspeção visual
Deve-se inspecionar visualmente todos os sacos de cimento durante a descarga, verificando a existência de embalagens rasgadas; manchadas com umidade ou óleos e graxas ou produtos desconhecidos. Na parte da frente da embalagem é comum observar:

a marca;
o fabricante;
tipo de cimento;
massa líquida (peso líquido);
país de origem.

3 Inspeção visual (continuação)
Verificar no ato da descarga, se o lote é homogeneo. No verso da embalagem verificar a existência de:

data de fabricação do produto (deve vir carimbada no verso do saco de forma indelével);
prazo de validade;
composição;
traços e cuidados na mistura;
recomendações quanto ao armazenamento;
selo da ABCP;
telefone para reclamação
.

Atençao: ver se o cimento não está empedrado no ato da descarga, rejeitando os sacos que não atenderem os critérios de aceitação. Ensacar o material cuja embalagem venha a sofrer algum dano durante o processo de descarga.

4 Massa líquida
Pesar um a um os sacos da 1ª amostra com uma balança devidamente regulada, se necessário proceder a pesagem no restante dos sacos da segunda amostra.

Qualquer diferença para menor na massa esperada (adquirida) é motivo para rejeição do lote ou para renegociar junto ao fornecedor.

5 Armazenagem
O cimento deve ser armazenado em local seco e protegido das intempéries, de preferencia dentro de um barraco construído para esse fim. O material deve ficar próximo do local onde será usado (perto das betoneiras até 20 metros). O piso do barraco deve de madeira e em locais muito úmidos forrar com uma lona plástica.

6 Pilhas de sacos de cimento
As pilhas devem ter altura máxima equivalente a 10 sacos, ficando distantes das paredes do local de armazenagem em pelo menos 30 cm. se otar por utilizar estrados estes devem ficar no mínimo 30 cm do chão.

Ao utilizar o cimento, pegar sempre o material com mais tempo de estoque.

7 Garantia de qualidade
Rejeitar o material que não venha com o selo de garantia da associação Brasileira de Cimento Portland - ABCP.

Exigir que todos os requisitos anotados no pedido venham expressos na nota fiscal, alertando o fornecedor de que a falta de algum deles implicará na rejeição do lote.

voltar ao início

Condições para o aceite
Por se tratar de material de extrema importância do ponto de vista da segurança da obra, além dos estéticos e os relacionados ao custo, convém adotar uma postura absolutamente rigorosa na aceitação do material. Qualquer não-conformidade é motivo para a rejeição do cimento e sua consequente devolução ao fornecedor.
Armazenamento: o cimento é um material extremamente perecível e deve ser protegido principalmente contra umidade.
Recomendação: todo e qualquer evento, seja de aceite condicionado ou de rejeição deve ser registrado no diário de obras.

voltar